Batizado Festa de Halloween Festa Infantil Mini Wedding - Bistrô Ruella Festa Urso Rei Festa Toy Story Jardim das Ursas Fadas

domingo, 16 de junho de 2013

Jogos Juninos / Músicas Típicas

Jogos Juninos: Jogos de Terreiro

Os jogos que valem prendas são uma atração tradicional nas festas juninas. Dividem-se em jogos de terreiro e jogos de barracas.

PAU-DE-SEBO



Brincadeira que anima as festas juninas, principalmente a festa em homenagem a São Pedro no Sudeste, e também está presente nas festas natalinas, no Nordeste. O pau-de-sebo é um mastro (não confundir com o mastro dos santos juninos) de madeira envernizada com aproximadamente 5 metros de altura. É cuidadosamente preparado: tiram-se todos os nódulos da madeira, que depois é lixada, e passa-se sebo de boi ou cera. O pau-de-sebo é então solidamente plantado no chão e muitas vezes recebe, no topo, um triângulo de madeira ao qual se amarra dinheiro (uma cédula de valor alto ou um depósito repleto de dinheiro). A brincadeira consiste em, abraçado ao pau-de-sebo, tentar subir e alcançar o prêmio. Como o mastro foi revestido com cera, dificilmente os que participam da brincadeira conseguem subir até seu topo, escorregam até perto do chão e voltam a insistir várias vezes, até desistir ou atingir o alvo, quando recebem palmas e vivas das pessoas que estão assistindo.

http://saojoaoassu.blogspot.com.br/2010/07/blog-post_9830.html


CATAR AMENDOIM
Cada criança deve apanhar, com uma colher, os amendoins colocados à sua frente, a uma certa distância, e levá-los para seu lugar, junto à linha de partida, um de cada vez. Vence quem primeiro reunir cinco grãos.

CORRIDA DE FUNIS
Introduzir dois funis numa corda, com a parte mais estreita voltada para um laço feito no centro. Os jogadores terão de, apenas soprando, levar os funis até o laço.

CORRIDA DO SACI
Riscar no chão duas linhas paralelas, sendo uma a de chegada. Ao sinal combinado, as crianças saem pulando num pé só em direção à linha de chegada.

CORRIDA DE SACOS
Semelhante à corrida do Saci, cada jogador faz o percurso com o corpo enfiado num saco bem preso à cintura. 


CORRIDA DE TRÊS PÉS
Cada jogador amarra a sua perna esquerda à perna direita do parceiro e, assim, os dois pulam até a linha de chegada. 


 


Jogos Juninos: Jogos de Barracas

ACERTAR O ALVO
Cada jogador recebe três bolinhas e, de certa distância, procura jogá-las dentro da boca de um grande caipira, desenhado em cartolina. Em algumas regiões, um palhaço substitui o caipira no cartaz.


JOGO DE ARGOLAS
Colocam-se várias garrafas estrategicamente no centro de uma barraca. Cada jogador recebe determinado número de argolas e tenta encaixá-las nas garrafas.


http://mais4you.files.wordpress.com/2013/06/junina-4.jpg

PESCARIA
Num tanque de areia, colocam-se peixinhos feitos de lata ou papelão. Cada um tem na boca uma argolinha, que deverá ser enganchada pelo anzol do pescador, ou jogador. Cada peixinho tem um número que corresponde a uma prenda.

http://risadaslau.blogspot.com.br/2011/06/festa-junina.html

TIRO AO ALVO
Coloca-se um alvo a certa distância; o jogador deverá acertá-lo utilizando dardos.

TOCA DO COELHO
Várias tocas numeradas são espalhadas num espaço fechado da barraca. Os jogadores apostam em determinada toca. Quando se solta ali um coelhinho, vence o jogador da toca em que ele primeiro entrar. 

http://aprendizagemdivertidadisneylandia.blogspot.com.br/2011/07/brincadeiras-juninas.html

Músicas Juninas


As músicas típicas das festas juninas podem ser apenas cantadas ou também dançadas. Até hoje muitas são compostas especialmente pelos nordestinos, e formam o repertório do forró, que se transformou em baile realizado não apenas no período junino. Entre os compositores e cantores mais famosos, destaca-se o pernambucano Luiz Gonzaga. Algumas estrofes de suas músicas são conhecidas de todos os brasileiros, como em OLHA PRO CÉU, MEU AMOR (em parceria com José Fernandes):
Olha pro céu, meu amor.
Vê como ele está lindo.
Olha praquele balão multicor
como no céu vai sumindo

Ou em DERRAMANDO O GAI (coco de Luiz Gonzaga e Zé Dantas):
Eu nesse coco num vadeio mai,
apagaro o candihero,
derramaro o gai
Apagaro o candihero,
derramaro o gai.
Coisa boa nesse escuro
eu sei que não sai.
Já não tão mai respeitando
nem eu qui sou pai,
pois me dero um beliscão,
quase a carça cai.
Não se pr?onde vai
por isso nesse coco
num vadeio mai

Em SÃO JOÃO DA ROÇA (em parceria com Zé Dantas):
A fogueira tá queimando
em homenagem a São João.
O forró já começou.
Vamos, gente, arrasta pé nesse salão.

Algumas das músicas juninas mais conhecidas, pelo menos na Região Sudeste, são as seguintes:

CAI, CAI, BALÃO
Cai, cai, balão.
Cai, cai, balão.
Aqui na minha mão.
Não vou lá, não vou lá, não vou lá.
Tenho medo de apanhar.

CAPELINHA DE MELÃO (João de Barros e Adalberto Ribeiro)
Capelinha de melão
é de São João.
É de cravo,
é de rosa,
é de manjericão.
São João está dormindo,
não me ouve não.
Acordai, acordai,
acordai, João.
Atirei rosas pelo caminho.
A ventania veio e levou.
Tu me fizeste com seus espinhos
uma coroa de flor.

PEDRO, ANTÔNIO E JOÃO (Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago)
Com a filha de João
Antônio ia se casar,
mas Pedro fugiu com a noiva
na hora de ir pro altar.
A fogueira está queimando,
o balão está subindo,
Antônio estava chorando
e Pedro estava fugindo.
E no fim dessa história,
ao apagar-se a fogueira,
João consolava Antônio,
que caiu na bebedeira.

ISTO É LÁ COM SANTO ANTÔNIO (Lamartine Babo)
Eu pedi numa oração
ao querido São João
que me desse um matrimônio.
São João disse que não,
São João disse que não,
isto é lá com Santo Antônio.
Implorei a São João
desse ao menos um cartão
que eu levasse a Santo Antônio.
São João ficou zangado.
São João só dá cartão
com direito a batizado.
São João não me atendendo
a São Pedro fui correndo.
No portão do paraíso
disse o velho num sorriso:
"Minha gente eu sou chaveiro,
nunca fui casamenteiro".

BALÃOZINHO
Venha cá, meu balãozinho.
Diga aonde você vai.
Vou subindo, vou pra longe,
vou pra casa dos meus pais.

Ah, ah, ah, mas que bobagem.
Nunca vi balão ter pai.
Fique quieto neste canto
e daí você não sai.

Toda mata pega fogo.
Passarinhos vão morrer.
Se cair em nossas matas,
o que pode acontecer.
Já estou arrependido.
Quanto mal faz um balão.
Ficarei bem quietinho,
amarrado num cordão.

CHEGOU A HORA DA FOGUEIRA (Lamartine Babo)
Chegou a hora da fogueira.
É noite de São João.
O céu fica todo iluminado,
fica todo estrelado,
pintadinho de balão.
Pensando na cabocla a noite
também fica uma fogueira
dentro do meu coração.
Quando eu era pequenino,
de pé no chão,
recortava papel fino
pra fazer balão.
E o balão ia subindo
para o azul da imensidão.
Hoje em dia meu destino
não vive em paz.
O balão de papel fino
já não sobe mais.
O balão da ilusão
levou pedra e foi ao chão.

SONHO DE PAPEL (Carlos Braga e Alberto Ribeiro)
O balão vai subindo,
vem caindo a garoa.
O céu é tão lindo
e a noite é tão boa.
São João, São João,
acende a fogueira
no meu coração.

Sonho de papel
a girar na escuridão
soltei em seu louvor
no sonho multicor.
Oh! Meu São João.

Meu balão azul
foi subindo devagar.
O vento que soprou
meu sonho carregou.
Nem vai mais voltar.

SEM TÍTULO (Djalma da Silveira Allegro e Paulo Soveral)
A mesa tá preparada,
os conviva vão chegando,
o quentão vai se servido,
o leitão tá esturricando.

Tem pipoca, tem pamonha,
mio verde com fartura.
Tem cabrito e frango assado,
tem doce de rapadura.
Tem tanta coisa gostosa
que barriga quase fura...

Chame o Mané Sanfoneiro
que o baile vai começá!
Vamos dançá a quadrilha,
cada um no seu lugar.

E a festança continua,
continua o arrasta-pé.
Dança home com otro home
e muié com otra muié.
Um já gastô as butinas,
otro já sentô cansado.
As moça dançam com o padre,
as véia com o delegado.
Uns ainda tão na mesa
comendo doce e salgado. A fogueira vai queimando
que dá gosto a gente vê.
As estrelas ainda piscando,
o sol quase pra nascê.
Tá todo mundo esperando
otro dia amanhecê...

PULA A FOGUEIRA (João B. Filho)
Pula a fogueira Iaiá,
pula a fogueira Ioiô.
Cuidado para não se queimar.
Olha que a fogueira
já queimou o meu amor.

Nesta noite de festança
todos caem na dança
alegrando o coração.
Foguetes, cantos e troca
na cidade e na roça
em louvor a São João.

Nesta noite de folguedo
todos brincam sem medo
a soltar seu pistolão.
Morena flor do sertão,
quero saber se tu és
dona do meu coração. 



http://4.bp.blogspot.com/-k3qI_aSjRQw/Ub3isfqXQ1I/AAAAAAAAJ1k/UEdCq66yu7k/s1600/sao-joao.jpg




Nenhum comentário:

Postar um comentário